Mostrar mensagens com a etiqueta Fim-de-semana. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Fim-de-semana. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

ASSALTO ÁS LANCHEIRAS


Na passada semana fomos ver a estreia da peça infantil "Assalto às lancheiras". Não podia ter calhado melhor já que nesse dia ao almoço o meu filho tinha feito uma birra monumental para comer a sopa. Assim, como não há melhor maneira de falar dos assuntos sérios se não a brincar, para além da ensaboadela que levou em casa, levou nova lição ali mesmo no teatro.

A questão é que no corre-corre do dia-a-dia é tão mais fácil optar por aquilo que eles "gostam", evitando confrontos para os quais não temos tempo e assim também não termos que nos preocupar se comem ou não, se temos que preparar ou não...e por vezes a excepção passa a ser a regra no que respeita à alimentação. Ora é disso mesmo que trata a peça.

   

É que segundo dados oficiais, uma em cada três crianças sofrem com o problema da obesidade infantil. O que faz com que, de acordo com a Comissão Europeia, estejamos entre os paises mais afectados por esta situação.

Dados do Sistema Europeu de Vigilância Nutricional Infantil, elaborado pela Organização Mundial de Saúde e pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, indicam que "mais de 90% das crianças portuguesas consomem fast-food, doces e bebem refrigerantes, pelo menos quatro vezes por semana. Menos de 1% das crianças bebe água todos os dias e só 2% ingere fruta fresca diariamente. Quase 60% das crianças vão para a escola de carro e apenas 40% participam em atividades extra-curriculares que envolvam atividade física".



O que esta peça faz é dar às crianças um suporte visual de todo este processo, fazendo-os perceber as consequências de optarmos por uma má alimentação e mostrando-lhes que é mais "cool" ser saudável. Tudo isto do ponto de vista dos alimentos e das próprias crianças.

A peça fala a língua deles e cativa através das músicas e quanto a mim, do guarda-roupa MARAVILHOSO.



A peça é da Ana Rangel e do Dino Rodrigues, que também fez a música. Tem encenação do Miguel Thiré e no elenco conta com Bruno Xavier, Carolina Venâncio, Daniel Cerca Santos, Fernanda Paulo, Joana Campelo, José Lobo, Lourenço Esteves, Luciana Ribeiro, Maria Lalande, Vânia Naia e Carlos Gonçalves.

Está em cena no Teatro Tivoli BBVA em Lisboa aos sábados às 16h00 até Fevereiro quando parte para o Norte, o que é tempo mais do que suficiente para ninguém ter desculpa para não ir. 

Nós gostámos muito e recomendamos! Polegar levantado! 



ASSALTO ÁS LANCHEIRAS 


O Tomate Cherry e a Couve-flor, reis do Reino dos Alimentos Saudáveis estão preocupados. Algo de muito estranho se está a passar. Os alimentos das lancheiras das crianças estão a ser trocados por alimentos pouco saudáveis e ninguém consegue perceber bem como, nem o porquê. O acordo estabelecido entre todos é claro: a alimentação dos humanos deve ser equilibrada e muito doseada e alimentos pouco saudáveis devem entrar na equação apenas de vez em quando. Claro que o Lord Cheese Burguer, o Refrigerante e a Lollipop estão muito contentes com tudo o que se está a passar. Mas será que não existe uma “mãozinha” de cada um deles em tudo o que está a acontecer? A Mariana e a Filipa, duas meninas, amigas, mas bastante diferentes no que toca a gostos gastronómicos, serão as primeiras a perceber que algo de muito estranho se passa com os seus habituais lanches, no recreio da escola.  
Numa altura em que se debate no mundo inteiro o problema da obesidade infantil por contraponto da importância de uma alimentação equilibrada, esta peça apresenta-se como “um dedo na ferida” para crianças e adultos. De uma forma muito divertida, com personagens muito próximas emocionalmente das crianças, “Assalto às lancheiras” promete ser a peça mais saudável do ano! A brincar e a cantar podemos todos aprender a comer melhor. Podemos todos pensar em ter uma alimentação mais equilibrada e uma vida mais activa. “Assalto às lancheiras” é uma deliciosa aventura a que ninguém ficará indiferente!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

"LEGO NINJAGO: O FILME"


Em Julho, quando a escola acabou, tive que gramar com todas as temporadas de todas as séries Ninjago que existem no NETFLIX. Foi aí que fiquei a conhecer o drama existencial de Lloyd, consumido entre o dever de ser o Ninja Verde e a culpa por ser ele próprio filho do destruidor Lord Garmadon. Todo um problema... e o meu filho louco com aquilo. 

Claro que quando os primeiros trailers de "LEGO NINJAGO: O FILME" começaram a surgir, ninguém o calava que queria ver. Esta mania das crianças não perceberem que não pode ser tudo quando e como eles querem...

Então quando soube quer teríamos oportunidade de assistir à ante-estreia do filme, numa sessão cheia de surpresas para os fãs da saga, percebi que haveria alguém histérico cá em casa. 


A ante-estreia contou com uma demonstração de Artes Marciais da academia STAT (e o nosso karateka vibrou), a presença das mascotes do filme, mesas para construções de lego, brindes do filme e presença das "vozes" protagonistas. 

O filme não desiludiu, eu e o pai demos por nós a gargalhar várias vezes. O miúdo, apesar do espírito crítico (não percebe porque certas coisas não batem com as séries animadas) gostou muito e não se calou o resto do dia a contar cenas do filme. 

Esta quinta-feira o filme chega aos restantes ecrãs e nós recomendamos bastante. Se ainda não tinham programa para este fim-de-semana, aqui está uma excelente opção para toda a família. 


"LEGO NINJAGO: O FILME" 

A batalha pela cidade de Ninjago chama à ação Lloyd, também conhecido como o Ninja verde, e os seus amigos, guerreiros secretos e mestres construtores Lego.
Conduzidos pelo mestre Wu, perito em kung fu e com tanto de sábio como de sabichão, têm como missão derrotar o senhor da guerra Garmadon, também conhecido como o tipo mais malvado de sempre - que por grande coincidência também é o paizinho de Lloyd.
O confronto épico testará esta equipa feroz, mas indisciplinada, de ninjas modernos, que têm de aprender a controlar os seus egos de forma a expressarem o seu verdadeiro poder.
Na versão Portuguesa, Tomás Wallenstein (vocalista dos “Capitão Fausto”) dá voz a Lloyd, Miguel Guilherme (ator e encenador) a Mestre Wu, Xana Toc Toc (cantora e artista) a Koko, Luís Barros (ator) a Garmadon, Rui Porto Nunes (ator) a Kai, Francisco Rebelo de Andrade (cantor e empresário) a Cole; FF (músico e ator) a Jay, Marta Peneda (atriz e cantora) a Nya e Rodrigo Paganelli (ator) a Zane. Nuno Markl e Manuel Marques completam o elenco.
-->

terça-feira, 12 de setembro de 2017

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Londres e a minha "desintóxicação telefónica"


Este ano fizemos nove anos de casados. Como prenda de aniversário o meu marido ofereceu-me uma viagem a dois à minha cidade preferida - Londres, com direito a um concerto do meu "guity pleasure" favorito. Claro que eu não poderia ter ficado mais feliz. 

A minha mãe ficou a dormir cá em casa e encarregue do miúdo.  Assim, numa manhã depois de o deixarmos na escola, arrancámos todos felizes em modo romântico para o aeroporto. E foi nessa altura, que em plena Ponte 25 de Abril, me lembrei que o meu querido e imprescindível telemóvel tinha ficado em casa a carregar. O homem ainda se ofereceu para voltar para trás, em modo, "na verdade não dá jeito nenhum, mas se quiseres..." ao que eu respondi "não vale a pena, deixa estar, não faz assim tanta falta" claramente a fazer-me de forte enquanto me roía por dentro a pensar nas fotos que não ia tirar, no instagram que não ia actualizar etc. etc. etc.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

O Watt, novo restaurante na fundação EDP by Chef Kiko


No passado fim-de-semana fomos experimentar o restaurante da "nova" Fundação EDP. O novo conceito do (Master)Chef Kiko ainda só abre regularmente para almoços, funcionando para jantares apenas por marcação antecipada e limitada. 

O restaurante é, tal como todo o edifício, arquitetonicamente lindo, com inspiração futurista mas guarda na decoração vários elementos que contam a história do que ali se passou até aos nossos dias, numa bem conseguida fusão entre passado e presente. 

No que respeita à gastronomia em si, este quinto espaço do Chef Kiko (depois d'O Talho,  A Cevicheria, O Asiático e O SURF & TURF) pretende defender um conceito de comida mais crua, mais ligada à Natureza, à terra e às suas raízes. Inspiração que o chefe confessa trazer das suas caminhadas e corridas pela montanha. A cozinha d'O Watt privilegia os crus, os grelhados e os vaporizados. Os fritos são totalmente abolidos e as gorduras e os açucares substituídos por semelhantes mais saudáveis. 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Zoo de Lisboa - O passeio mais giro, sempre!




As férias estão aí e os miúdos exigem programas giros para preencher o tempo, que teima em não passar, nestes dias. O que vos mostro é tudo menos uma novidade. Deve ser o passeio mais feito pelas famílias portuguesas desde sempre, e bem, porque é sempre, sempre giro. E  quando perguntamos aos baixinhos o que é que eles querem fazer poucas respostas se repetem tantas vezes como "ir ao Zoo"
Foi o que Sir Coqui Fofi fez quando lhe perguntámos o que queria fazer no dia do seu quinto aniversário. E lá fomos em modo família alargada, passar o dia no Zoo. 

segunda-feira, 27 de março de 2017

Mini fashion icon #22









 

Look Completo Zara à excepção dos ténis Adidas
Blusão e calças de ganga antigos
Long-sleeve dos saldos
Óculos de sol tam. M da nova colecção 



Jardim do Solar dos Zagallos - Vale a pena conhecer!

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Teatro infantil: O Gato das Botas


No passado sábado fomos convidados a assistir à peça "O Gato das Botas" do Teatro infantil de Lisboa. Por algum motivo, o meu filho tem uma verdadeira devoção por esta personagem e portanto eu sabia que não podíamos perder. Como seria de esperar ele adorou!

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O até já em grande "cowbóiada"


Fomos passar o último dia do ano velho e o primeiro do novo no nosso local favorito para as férias - o Zmar. Alguns amigos quiseram juntar-se e, tal como nós, adoraram. Apesar de ser a primeira vez de todos e o resort estar a "meio-gás". 

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Estamos de volta!


Eu sei, eu sei...é uma vergonha ter tido tempo em Paris para dizer alguma coisa mas depois, chegada a casa, não arranjar um buraquinho para vir aqui dar um "olá".
Mas sim, estamos de volta, correu tudo bem e estamos a postos para receber o Natal (está mesmo aí!!). 

A viagem a Paris foi muito boa, apesar de muito dura fisicamente para mim que na véspera estava a contorcer-me de febre no sofá. No dia, e com malas por fazer, apetecia-me tudo menos entrar num avião, mas queria muito ir e não ia desiludir a família, portanto juntei as forças que tinha e lá fui.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Cinco dicas para fazer caber tudo na mala de cabine


Quem me acompanha, já percebeu que gosto de fazer férias nesta altura e que sempre que posso, gosto particularmente de fazer escapadinhas na Europa nesta época do Natal. Adoro ver as decorações, passear nas feirinhas de Natal e acho sempre que, regra geral, as cidades têm um encanto especial nesta altura (Lisboa, é um bom exemplo disso). 

 Este ano o destino escolhido foi Paris, e não sei se é por estarmos mais atentos, mas parece-me que foi uma escolha muito popular neste final de ano. Graças às companhias low cost este tipo de deslocações tornou-se muito mais acessível, mas têm um senão - a bagagem. 

A dor de cabeça deste tipo de escapadinha, e numa altura fria do ano, é precisamente o que levar na mala e como fazê-lo caber na mesma (geralmente uma mala de cabine). 

Neste tipo de viagem, levamos por norma um troley-mochila que o pai leva às costas permitindo-lhe empurrar o carrinho bengala (imprescindível para quem se vai farta de andar) e um troley normal que eu puxo. Ás costas levo uma mochila mais pequena com tudo o que precisamos ao momento e principalmente as coisas do miúdo. Poderíamos levar outra mala pois pagamos três bilhetes (e o carrinho de bebé não conta) mas seria muito difícil de transportar, pelo que tentamos enfiar a roupa dos três nestas duas malas pequenas. 

Não vou negar, não é fácil, especialmente com roupa de inverno, mas tenho alguns truques que posso partilhar.