Mostrar mensagens com a etiqueta Da mãe. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Da mãe. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 17 de outubro de 2017

5 truques infalíveis para escolher roupa de cerimónia (mesmo vestindo o XL)


Há várias semanas atrás publiquei a foto acima nas minhas redes sociais. Ora, fosse eu uma blogger de visão e tinha feito este post no inicio do verão quando as agendas estavam cheias de eventos como casamentos, batizados etc. É que se forem como eu, que tive este ano o baptizado de 6 crianças e ainda três casamentos, se calhar tinha dado jeito. Mas não,  eu achei que visto que já há mil e trezentos blogs a mostrar outfits, a mostrar tendências, a aconselhar modelitos e não precisam de mim para o fazer. E continuo a achar mas...

...Depois da foto acima ter sido das que mais furor fez nas minhas redes sociais quando a postei, depois de ter recebido mensagens e até telefonemas sobre este look em particular, pensei que talvez não fosse assim tão descabido falar disto. 

Então, peço desculpa pela demora mas acho que (AINDA) vale a pena falar sobre isto. Por isso compilei algumas dicas que a mim me ajudam a escolher roupa para casamentos, baptizados, ou outros eventos:

terça-feira, 5 de setembro de 2017

O recomeço...


Dizia um amigo brasileiro, recentemente a morar em Lisboa, que ainda não entende bem esta coisa de nós termos dois "começos de ano", já que lá a passagem do ano coincide com o final do Verão e como tal, com o inicio do ano em toda a sua plenitude. Mas por cá é inegável que depois da "silly season" alguns de nós ainda sintam mais esta altura do ano como uma folha em branco. 

No dia 31 de Dezembro de 2016, em plena festa de réveillon, dez minutos passados da meia noite estava eu a estatelar-me no chão a caminho da casa de banho e a pensar, "um ano que começa assim, não pode correr bem..." mas chegada ao pé do meu marido ele deu-me a versão otimista da queda: "Pensa, não que começas-te o ano a cair, mas sim, que o começaste a levantar-te". A verdade é que este ano tem corrido muito bem, e tem sido efetivamente um ano de superações. 

Neste que é o recomeço do ano, com reuniões feitas na semana passada e tudo estruturado para o regresso ao trabalho ontem, segunda-feira, dia 4 de Setembro, apanho uma virose e fiquei sem conseguir fazer nada. De cama, com febre, cheia de dores, a vomitar... fiquei chateada porque mais não consegui do que responder a mensagens urgentes. Mas depois lembrei-me da queda da passagem de ano e perguntei-me se esta virose não seria auspiciosa de um resto do ano em grande. 

Vamos acreditar que sim!

E por aí? Tudo preparado para voltar à rotina?


No ano passado o regresso foi assim

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Londres e a minha "desintóxicação telefónica"


Este ano fizemos nove anos de casados. Como prenda de aniversário o meu marido ofereceu-me uma viagem a dois à minha cidade preferida - Londres, com direito a um concerto do meu "guity pleasure" favorito. Claro que eu não poderia ter ficado mais feliz. 

A minha mãe ficou a dormir cá em casa e encarregue do miúdo.  Assim, numa manhã depois de o deixarmos na escola, arrancámos todos felizes em modo romântico para o aeroporto. E foi nessa altura, que em plena Ponte 25 de Abril, me lembrei que o meu querido e imprescindível telemóvel tinha ficado em casa a carregar. O homem ainda se ofereceu para voltar para trás, em modo, "na verdade não dá jeito nenhum, mas se quiseres..." ao que eu respondi "não vale a pena, deixa estar, não faz assim tanta falta" claramente a fazer-me de forte enquanto me roía por dentro a pensar nas fotos que não ia tirar, no instagram que não ia actualizar etc. etc. etc.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Febre dos batons



Nunca tive por hábito pintar os lábios, mas ultimamente vejo os batons assim como uma espécie de objecto de desejo.

Gosto, por habito, dos da clinique. Adoro, claro, os Dior. E olho com muita curiosidade para os novos Lip Paint da L'Oreal, não só porque tem, para mim, a paleta de cores essencial mas também porque me irritam os batons que precisam de várias passagens para se aproximarem da cor que prometem. Estes, diz a L'Oreal são de fixação à primeira passagem, quer sejamos fãs do mate ou de um efeito vinílico. E duram, diz quem sabe, o dia inteiro...

Portanto estes seis meninos, sim os seis, podem vir cá para casa quando quiserem. Para quem sente o mesmo, é só clicar na cor favorita, ou em todas, para mais informações!




quinta-feira, 9 de março de 2017

Disto de alimentar um blog


Ontem em conversa com uma amiga, também blogger, falávamos da falta de tempo para alimentar um blog. Ideias? Essas há sempre imensas, afinal de contas, quando devidamente enquadrado, todos os assuntos dão bons posts. Mas o problema é mesmo o tempo para nos dedicarmos a elas. E no meu caso particular, quando digo escrever no blog posso igualmente dizer ler outros blogs. 

Sim, eu sei, há pessoas que vivem vidas igualmente (ou até mais) preenchidas e ainda assim continuam a ter tempo para escrever. Provavelmente farão melhor uso do seu tempo que eu, talvez! Mas a verdade é que acima de tudo eu não consigo ter uma boa consistência de publicações, ou publico muito, ou não publico nada. Eu sei...

Claro que o meu objectivo é publicar todos os dias. E sei que há excelentes blogs que publicam duas ou três vezes por semana e não há problema nenhum. Na maioria das vezes têm até posts melhores, muito mais pensados. Mas eu - e isto é uma cena completamente minha - detesto chegar a um blog que siga e ver que não escreveram nada. E sei que é isso que aqui faço. Portanto queria muito manter o objectivo de escrever SEMPRE! Acontece que quando tenho mais tempo publico mais - tanto que tenho a falsa sensação de que consigo que seja sempre assim, e quando não tenho tempo não escrevo absolutamente nada. Se podia dividir o conteúdo para várias semanas? Podia! Há posts que podem perfeitamente ser publicados em qualquer altura. Mas eu quando quero dizer qualquer coisa, quero dizê-la logo, e tendo tempo para cá vir, não há como evitar carregar no botão.


Neste momento em particular, como sabem os mais atentos, deixei de trabalhar por conta de outrem e estou a começar a habituar-me a esta coisa de eventualmente vir mesmo a ser freelancer. Prefiro colocar nestes termos porque isto tudo ainda é muito novo para mim e ser freelancer é um bocado "a profissão" da moda (independentemente da área) o que não me dá muita segurança que vá ser a minha muito tempo...vamos ver. 

Acontece que o meu blog começou como um escape. Tanto em casa como no trabalho. Eu estava muitas, muitas horas sentada em frente a um computador e essa era basicamente a única coisa que eu podia fazer estando naquele sitio.
Quando precisava de uma pausa, eu que não bebo café, nem fumo, perdia-me na internet. Espreitava o Facebook, matava o vicio do https://pt.pinterest.com/catiahhenriques/Pinterest e claro, aproveitava para ler blogs e escrever o meu próprio.

Nesta minha nova condição, trabalho quase exclusivamente a partir de casa, e também quase todo o dia no computador. Só que agora, quando preciso de uma pausa, tenho um mundo por onde escolher porque posso realmente largar o computador. Então refiro pequenas caminhadas ou sestas, compras, encontros com amigas ou até adiantar as tarefas de casa, temperar o jantar ou por a roupa a lavar. 

E os blogs? 

Ler ou escrever fica, digo-me sempre, para os verdadeiros tempos livres, ao serão por exemplo. Só que ao serão, quando não tenho que voltar ao trabalho - ai as maravilhas de trabalhar por conta própria! - apetece-me tudo menos pegar no computador. 

É falta de tempo? É e não é. É gestão de prioridades? Acho que é acima de tudo o encontrar de um balanço que eu ainda não encontrei nesta nova rotina. E por isso peço a todos, até a mim mesma, que me desculpem. 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

5 coisas que aprendi num curso de empreendedorismo


Os mais atentos devem ter reparado na minha ausência dos últimos dias. O motivo mais do que justificado foi um mini-curso de empreendedorismo na óptica da sustentabilidade do negócio. 

Como alguns saberão, deixei de trabalhar por conta de outrem no início do ano passado e habituo-me agora, pouco a pouco, a uma nova rotina ainda um pouco desconhecida para mim: a de freelancer. 

Sim, à partida tem-me trazido tudo o que procurava; horários flexíveis, qualidade de vida, mais tempo para dedicar ao meu filho etc. mas não deixa de ser uma incerteza e de me colocar em papeis anteriormente desconhecidos para mim, o de líder, o de comercial, o de decisor... 

Foi por isso que decidi assistir a este mini-curso de empreendedorismo sustentável e perceber os meus pontes fortes e os fracos e como melhora-los. 



1. Não é empreendedor quem quer ou precisa mas sim quem tem perfil para isso 

O empreendedor entra, por norma, em várias partes do negócio e acompanha todo o processo do seu desenvolvimento, de uma ponta a outra. Para que isso resulte é necessário que esteja aberto a aprender novas coisas rapidamente e que a sua personalidade lhe permita estar à vontade em áreas que à partida não seriam as suas. 




2. O importante é a sustentabilidade

Analisar, analisar e voltar a analisar. Podemos ter a melhor ideia de negócio, mas se depois de analisadas todas as vertentes do projecto, o mesmo não revelar a rentabilidade desejável, não vale a pena avançar. Empreendedorismo sim, mas com vista à sustentabilidade do negócio (e do empreendedor).




3. Escolha bem o seu "companheiro de viagem" 

Não escolha um sócio porque o conhece muito bem, ou há muito tempo, e sempre foram os melhores amigos. Escolha para essa viagem, um companheiro que partilhe a sua visão do destino e do caminho para lá chegar. 




4. A importância da visualização

Dizem os especialistas que o nosso cérebro processa a visualização, ou imaginação, de uma forma muito semelhante à experiência real, quase sem conseguir distingui-las. Por isso, ao visualizarmos aquilo que queremos para nós, estamos a dar um empurrãozinho para facilitar que aconteça. 
Imaginem-se daqui a cinco anos. Como querem estar? Pensem em cada detalhe. E para lá chegar? Onde estaria daqui a três anos? E neste mesmo dia, daqui a um ano? Provavelmente então esse é mesmo o caminho que terá de fazer. Rumo traçado, é só avançar. 



5. A maior qualidade de um empreendedor é a sua capacidade de resiliência

A vida de um empreendedor tem muitas curvas e contra curvas e para supera-las é preciso não só saber voltar "à forma" inicial após cada revés, mas também reinventar-se para se superar a si próprio. 








segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Cor de Rosa


Diz quem sabe que o cor-de-rosa vai ser a cor forte da próxima estação.

Eu não percebo nada disto mas achei piada porque já tive uma grande pancada pela cor. Houve um verão em que, apesar de já na altura só me vestir de preto, comprei sandálias e uma mala rosa-choque e achava que fazia o coordenado mais giro com o preto. E não me saí nada mal, já que nesse mesmo Verão comecei a namorar com o pai cá de casa.

Mas apesar de não ficar mal, e ter deixado boas recordações, continua a ser caricato pensar nisso.

A H&M, que é das minhas lojas favoritas como sabem (roupa gira e muito preto + tamanhos grandes = big crush), e que não deixa passar nada, já fez as suas propostas. E não é que eu até acho alguma piada.

E por aí? Vão aderir à nova moda do cor-de-rosa?


Todas as imagens são do site/Newsletter da H&M


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

34 à mesa para celebrar os meus 34


Não é muito comum organizar uma grande festa para os meus anos, estranhamente cansa-me fazer para mim aquilo que tanto gosto de fazer para os outros. Estar a organizar algo para mim, sobretudo imediatamente após as festas é algo que rapidamente descarto do meu pensamento e acabo por fazer o da praxe, jantar com a minha mãe (muito importante - é o nosso dia) e os meu rapazes num sitio que gostemos e pronto (quem viu no instagram?). 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Birthday Wish List


1. Mala Bimba & Lola 2. Pulseira Swaroski 3. Botins Zara 
4. Sapatos Zara 5. Baton Clinique na Perfumes e Companhia 
6. Aneis Pandora (para usar aos molhos) 6. Ténis Adidas Gazelle


Felizmente a cada ano que passa vou desejando menos coisas nestas datas especiais. Isso porque felizmente também, dentro do razoável, vou ao longo do ano conseguindo comprar tudo o que desejo. Isso é um excelente sinal e faz-me sentir uma afortunada. Foi por isso que não fiz nenhum pedido especial este Natal e ainda assim tive presentes muito bonitos, obviamente.

Mas a um dia do meu aniversário, e em época de saldos, tive vontade de registar uma lista de coisas que, ainda que não precisando, gostaria de ter. Ou porque são boas oportunidades, ou porque nunca são demais, ou apenas porque são coisas que nos fazem sentir bem. 

Não fico mais ou menos feliz por recebe-las neste meu aniversário, provavelmente algumas comprarei, outras nunca chegarei a ter e está tudo bem assim. 

Amanhã, somo mais um aninho à lista.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

(Primeiras...) Coisas (...do ano)

Depois de uma manhã de Natal em que o miúdo vomitou, mesmo sem ter (obviamente) bebido nada na noite anterior, foi a minha vez de, na noite de Reveillon, ainda 2017 não tinha mais de meia hora, e também sem ter bebido nada, já me estar a espetar no chão* e a desgraçar um joelho. 

Ao ver-me de perna estendida com gelo no joelho o meu filho tenta confortar-me...

- Deixa lá mãe, de certeza que isso ainda te passa antes de chegares a velhinha! 



*Malta que não me grama pode aproveitar para rir agora porque deve ter sido uma coisa linda de se ver... ;) 

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Tempo de balanço...


Quase sinto que preciso de pedir desculpa por isto, mas ao contrário do que vejo pelas redes sociais, não sinto que 2016 tenha sido um mau ano, nem estou desejosa para que se vá embora. 

Aliás, este dia, o ano passado, escrevi aqui o quanto estava a desejar a chegada de 2016, porque 2015, esse sim, tinha sido um mau ano para mim. Também já o disse, e é verdade, que sou fã de recomeços e todas as possibilidades que em teoria deixam em aberto. Mas este ano, pela primeira vez, tenho que confessar que preferia uma continuação de um bom ano, ao invés de um novo ano cheio de incógnitas.

Bem, não sei se foi de 2016 ou se fui eu que me foquei mais nos meus objectivos, mas este ano senti-me capaz, confiante e com forças para alcançar o que me propus. E ainda que tenham havido episódios menos bons, particularmente um que me encheu de alegria apenas para me inundar de tristeza a seguir (2016, ainda me deves esta!) e alguns problemas familiares, prefiro focar-me nas coisas positivas que o ano me deu. Que foram muitas, até por aqui (no blog). 

Sim, houve muita guerra, ódio, morreu muita gente boa, houve falta de dinheiro, de emprego, tudo o que infelizmente acontece todos os anos, afinal. Mas este, odiado, 2016, mostrou-me que às vezes basta mudarmos um bocadinho a nossa atitude e à nossa volta tudo muda. 

Por isso, eu até estava bem aqui em 2016, mas já que temos mesmo que mudar, desejo que 2017 seja a continuação deste bom ano. Ou claro, ainda melhor! 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

A minha agenda para um ano feliz!


Eu já aqui confessei a minha verdadeira pancada por agendas. Por muito ligada às tecnologias digitais que seja, este vicio que ganhei quando comecei a trabalhar (há muitos anos) não me larga. 

Este ano tenho uma muito especial!!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

E ficar doente um dia antes das férias? Uma maravilha...


Amanhã vamos para Paris, conforme já tinha partilhado por aqui. Na minha cabeça o dia de hoje era perfeito para umas comprinhas de última hora e fazer as malas. Acontece que ontem à tarde depois de um almoço fora começo a sentir muito frio, cansaço e pronto... percebi... a bicheza que o meu filho trouxe da escolita (algo como blablablafaringiteviral), e que o atacou violentamente no final da semana passada e fim-de-semana, tinha chegado a mim. 

"Oh mamã, eu só queria dormir contigo, e agora ficaste tu doente" - dizia ele, enquanto me passava a mãozinha pequena na testa.  

Febre alta, muita tosse, dores no corpo e cansaço, que a mediação e o xarope têm vindo a atenuar, mas que nem por isso deixaram de atrapalhar os preparativos para as férias. 

São quase onze horas e eu acabei de fazer as nossas malas, muito a custo, e com zero vontade. A do bicharoco ainda ficou para amanhã de manhã. Arriscado? Muito! 
Mas não dá para mais...

Porra do virus teve uma semana inteirinha de trabalho para me atacar mas só se lembrou agora que vou de férias... 

Não há-de ser nada! 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Cinco dicas para fazer caber tudo na mala de cabine


Quem me acompanha, já percebeu que gosto de fazer férias nesta altura e que sempre que posso, gosto particularmente de fazer escapadinhas na Europa nesta época do Natal. Adoro ver as decorações, passear nas feirinhas de Natal e acho sempre que, regra geral, as cidades têm um encanto especial nesta altura (Lisboa, é um bom exemplo disso). 

 Este ano o destino escolhido foi Paris, e não sei se é por estarmos mais atentos, mas parece-me que foi uma escolha muito popular neste final de ano. Graças às companhias low cost este tipo de deslocações tornou-se muito mais acessível, mas têm um senão - a bagagem. 

A dor de cabeça deste tipo de escapadinha, e numa altura fria do ano, é precisamente o que levar na mala e como fazê-lo caber na mesma (geralmente uma mala de cabine). 

Neste tipo de viagem, levamos por norma um troley-mochila que o pai leva às costas permitindo-lhe empurrar o carrinho bengala (imprescindível para quem se vai farta de andar) e um troley normal que eu puxo. Ás costas levo uma mochila mais pequena com tudo o que precisamos ao momento e principalmente as coisas do miúdo. Poderíamos levar outra mala pois pagamos três bilhetes (e o carrinho de bebé não conta) mas seria muito difícil de transportar, pelo que tentamos enfiar a roupa dos três nestas duas malas pequenas. 

Não vou negar, não é fácil, especialmente com roupa de inverno, mas tenho alguns truques que posso partilhar.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Black Friday Wishlist

Hoje é Black Friday. Podia bem ser o meu dia, como me disse uma amiga, teria o nome perfeito. 

Por essa blogosfera fora há listas e listas de lojas com descontos que podemos aproveitar e por isso não me vou repetir. Os descontos não são propriamente uma loucura mas se ainda assim quiserem uma desculpa para aproveitar, eu deixo abaixo a minha wishlist, All Black, como pede esta Friday!

Só clicar na imagem para ver com, ou sem, desconto.      

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

A loucura do Estacionário chega à Parfois



Não sei o que se passa com as mulheres da minha geração, mas parece-me que somos todas um bocadinho viciadas em estacionário. Eu já aqui me confessei, várias vezes, viciada em agendas - na minha agenda - e culpo um bocadinho o anuncio irritante dos anos 80/90 com que cresci "No natal o meu presente, eu quero que seja: A minha agenda, a minha agenda", quem não se lembra? Na altura nunca cheguei a ter uma, nem me lembro sequer de ser algo por que me interessasse mas a verdade é que acredito que algo subliminar me terá ficado gravado em tão tenra idade para agora suspirar ao avistamento do mais simples caderninho. 

As marcas, que não são parvas nenhumas, parecem ter-se vindo a aperceber desta nossa fraqueza e cada vez mais lojas nos mostram as suas colecções de estacionário. É desta feita o caso da Parfois, que tem vindo a alargar a sua gama de produtos e chega agora ao papel. 

Ainda não vi ao vivo, mas para quê? Nem preciso! Podem vir todos já morar cá para casa. 






sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Encantada com a Pull & Bear

Eu costumo dizer sou uma compradora de Sofá. 

Isso às vezes quer apenas dizer que encho o carrinho de compras das lojas online e no fim fecho a tampa do portátil sem comprar absolutamente nada (quem nunca?). Outras vezes faço-o pois não tenho paciência para ver todas as lojas quando estou no shopping e por isso aproveito as lojas online para uma primeira vista de olhos. Se as colecções forem promissoras ganham uma visita na próxima vez. Se não o fizer acabo sempre nos sítios do costume e nem me lembro que existem outras lojas. 

Geralmente só entro na Pull&Bear quando vou com o meu marido ou com o intuito de lhe comprar alguma coisa. Isto porque, apesar de ter ideia de ser uma loja com uma boa relação qualidade/preço e de materiais bastante bons, geralmente não encontro grande coisa que faça o meu estilo (ao contrário dele). Mas ao passear numa das minhas lojas online favoritas deparei-me com o contrário. Vi muita coisa que fazia, sim, o meu estilo, e acho que na próxima vez no shopping vou dedicar um tempinho a ver estas belezinhas chegaram ao nosso país...

Entretanto a marca está a celebrar o seu 25.º aniversário e com uma campanha de 25% de desconto em todas as compras. No site deles é só utilizar o código HAPPYPB25

Estas imagens não são do site deles mas se clicarem vão dar a outro site de confiança de onde também podem mandar vir esta e outras marcas. 

Boas compras!